Inmet prevê mais chuva forte em parte do Rio Grande do Sul


O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) informou nesta quarta-feira (6) que novas áreas de instabilidade vão ganhar força e provocar mais chuva em parte do Rio Grande do Sul agora à noite e ao longo de todo o feriado de 7 de Setembro. Nos últimos dias, um ciclone extratropical atingiu a região sul do país e provocou a morte de 36 pessoas no estado

A previsão indica grandes acumulados de chuva, principalmente, no extremo sul do estado gaúcho, como volumes que podem superar 70 milímetros (mm) em algumas áreas. Esse volume indica chuva forte e pode provocar transbordamento de rios e enchentes em várias regiões do estado.

De acordo com o Inmet, para sexta-feira (8) o avanço de uma nova frente fria vai potencializar a instabilidade e provocar acumulados de chuva de até 100 mm em parte do Rio Grande do Sul, podendo atingir as mesmas áreas impactadas pela chuva dos últimos dias.

A Meteorologia alerta a população para a importância de acompanhar as atualizações da previsão do tempo e dos avisos meteorológicos especiais nos próximos dias, além de seguir as recomendações da Defesa Civil Nacional e da Defesa Civil do Rio Grande do Sul. 

A Defesa Civil estadual do Rio Grande do Sul emitiu um alerta de temporais, descargas elétricas, eventual queda de granizo e rajadas de vento, que podem durar até às 10h do dia 7 de setembro.

Balanço

Desde a última sexta-feira (1) até a tarde a última segunda-feira (4), um amplo canal de ar quente e úmido, associado a um sistema de baixa pressão, indicava a chegada do ciclone extratropical que provocou forte instabilidade e chuva forte em áreas da Região Sul, em especial na metade norte do Rio Grande do Sul, o que resultou em acumulados significativos de chuva nos primeiros cinco dias de setembro, como os registros de cerca 297,8 mm em Passo Fundo, 291,8 mm em Cruz Alta e 290 mm em Serafina Corrêa, o que provocou o transbordamento de rios e o alagamento de várias cidades. 

Dados do Inmet, considerando o mês de setembro, mostra quebra de recorde de acumulado de chuva em 24h nas estações meteorológicas de Passo Fundo, Cruz Alta e Serafina Corrêa.

Intensificação das chuvas

Imagens de satélite exibem o centro de baixa pressão atmosférica estacionário, posicionado no extremo nordeste da Argentina, entre o Paraguai e o Rio Grande do Sul. Na segunda-feira (4) à tarde, a massa de ar quente  começou a se deslocar para o estado gaúcho até se converter no Oceano Atlântico em ciclone extratropical, quando houve a passagem de uma frente fria que trouxe o ciclone, provocando o transbordamento dos rios e a enchente em várias regiões do Rio Grande do Sul, principalmente na região norte do estado.



EBC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *